quinta-feira, 3 de setembro de 2009

MESTRE CARTOLA - Preciso Me Encontrar

Deixe-me ir
Preciso andar
Vou por aí a procurar
Rir prá não chorar...
Quero assistir ao sol nascer
Ver as águas dos rios correr
Ouvir os pássaros cantar
Eu quero nascer, quero viver...
Deixe-me ir
Preciso andar
Vou por aí a procurar
Rir prá não chorar...
Se alguém por mim perguntar
Diga que eu só vou voltar
Quando eu me encontrar...
Quero assistir ao sol nascer
Ver as águas dos rios correr
Ouvir os pássaros cantar
Eu quero nascer, quero viver...
Deixe-me ir
Preciso andar
Vou por aí a procurar
Rir prá não chorar...

4 comentários:

Canto da Bruxa disse...

Oi Luciene, queria te dizer que de alguns Blogs de bruxaria que as vezes eu visito..., eu adoro o seu, acho seus textos cheio de gentileza,ele está cheio de vida, de paixão.Eu sempre me emociono, como agora por ex.De repente dou de cara com nada mais, que o grande Mestre Cartola," Deixe me ir,preciso andar..." e aí volto um pouco no meu tempo de hippie,quando era uma adolescente livre e louca( não sou daquela época mas tenho todas as influencias)quando curtia e ainda curto Janis Joplin, Jimy Hendrix,Crosby, Styll,Nasch e Young, e por aí vai,tenho vários discos..., que saudade boa... Hoje vou fazer bruxas ao som de Janis Joplim de um clássico que vale a pena conferir. Do Disco Pearl considerado uma obra prima, a música" A Woman Left Lonely" outra " Trust Me" "Que surpresa boa!!! Que presente vc me deu,pros meus 46 agora no domingo.
Mil beijos

Lourdes Sabioni disse...

Linda canção...eu sempre adorei e admirei os grandes mestres...Bjs

LUCIENE disse...

Poxa tentei de varias formas responder seu comentario , mas não consegui, não post como anonimo não.. suas palavras foram tão carinhosas e queria te dizer q tbem fui muuuuito Hiponga na adolescencia e q tbem amoo janis Joplin...rsss.. bj no coração Lu

O Profeta disse...

Uma jura de amor nasce do peito
O querer vestiu-de de exaltação
Um olhar prende um sorriso sincero
Duas mão procuram a união

Seguem juntos rumo ao infinito
Habitam o Templo da imaculada ternura
Nesta peça ninguém morre, acaba bem
As deixas são engalanadas pela formosura


Queres viajar no para sempre...?

Doce beijo